Peterhansel vence 3ª etapa e Al-Attiyah regressa à liderança

Paulo Gonçalves registou um positivo 6º lugar nas motos. Al-Attiyah resiste aos ataques da Mini, com Sainz fora das contas.

Peterhansel etapa_3

A 3ª etapa do Dakar que decorreu entre San Juan de Marcona e Araquipa, num total de 799 km, contou com 331 km ao cronómetro e muita areia a fazer a diferença para o lado dos verdadeiros especialistas neste tipo de piso. O “Senhor Dakar” mostrou-se e levou o Mini à vitória, mas este esforço de Stephane Peterhansel não chegou para colocar um carro da X-raid no comando, pois muito atento aos ataques da Mini, Nasser Al-Attiyah respondeu à letra, perdendo 3m26 para o vencedor do dia, mas regressando à liderança do Dakar 2019.

Quem se atrasou foi Sébastien Loeb, que ontem brilhou com uma vitória, mas hoje conseguiu apenas o 11º tempo, perdendo 42m55 para Peterhansel, caindo agora para o 8º lugar da geral a 37m59 do piloto da Toyota. Aliás, Nasser Al-Attiyah vai resistindo de forma fantástica aos constantes ataques da Mini que hoje conseguiu colocar cinco carros nos seis primeiros lugares, lamentando apenas as quatro horas de atraso que Carlos Sainz já regista na etapa, devido a uma suspensão do Mini partida, ficando longe de lutar por lugares cimeiros.

A Toyota Hilux de Nasser teve argumentos para o forte ataque da Mini, que para além de ver Peterhansel vencer, alcançou o 3º lugar do dia com Jakub Przygonski, vendo ainda outro especialista das areias, Yazeed Al Rajhi chegar à 4ª posição e Nani Roma ao 5º lugar, mas já a 18m12 do vencedor e com Cyril Després a dar ainda o 6º lugar à Mini. Contas feitas, Nasser Al-Attiyah lidera com a Toyota Hilux, tendo 6m48 de vantagem para o melhor Mini, tripulado por Yazeed Al Rajhi, que tem no seu encalço mais 4 carros da Mini X-Raid, com Peterhansel no 3º lugar a 7m03, Nani Roma no 4º posto a 12m02, seguido por Przygonski a 13m45 e por Després já a 24m40. A 2ª Toyota Hilux  é a de Bernhard Ten Brinke, no 7º lugar a 25m21. Quanto a Sébastien Loeb, com o Peugeot 3008 DKR, ocupa agora a 8ª posição a 37m59 do líder. Nos automóveis, o melhor português em prova é Filipe Palmeiro, navegador de Boris Garafulic em Mini, que foi hoje o 14º classificado e ocupa a 13ª posição na classificação geral.

Nas motos, Paulo Gonçalves registou um magnífico 6º lugar na etapa, deixando a sua Honda a 9m31 do vencedor que foi Xavier de Soultrait em Yamaha, que triunfou com apenas 15 segundos de vantagem para Pablo Quintanilla em Husqvarna, que é agora o novo líder do Dakar em motos. Isto porque Joan Barreda abandonou a meio da especial devido a uma queda, tendo sido inclusivamente evacuado de helicóptero, mas sem problemas graves. Kevin Benavides foi o 3º classificado e o melhor piloto Honda do dia. Entre os portugueses, Mário Patrão foi 23º na etapa, Sebastian Buller 41º, Fausto Mota 45º, Joaquim Rodrigues 46º, António Maio 49º e David Megre o 50º classificado do dia. Mais distante, Miguel Caetano registou o 95º lugar e Hugo Lopes foi 117º à chegada a Arequipa. Todos os portugueses estão em prova. Na classificação geral, Paulo Gonçalves ocupa agora o 9º lugar a 25m11 de Pablo Quintanilla.

Entre os SxS Miguel Jordão com o brasileiro Lourival Roldan terminaram a etapa em 7º lugar, ocupando o 8º posto naclassificação geral. Ricardo Porém e Jorge Monteiro foram os 13º classificados do dia, estando agora no 12º lugar da geral, enquanto Pedro Mello Breyner e o peruano Javier Uribe foram 22º na etapa e estão no 21º lugar da classificação geral.

scroll up